segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Resenha da semana: O eterno namorado / Nora Roberts

Nora Roberts: a escritora que sabe falar de amor verdadeiro, de uma forma tão verossímil que é impossível não se apaixonar por suas histórias.

“O eterno namorado” é o segundo livro da trilogia “A Pousada” (tem resenha do primeiro “Um Novo Amanhã” aqui). A história central da trilogia é a obra de revitalização de um prédio antigo na cidade de BoonsBoro, que se torna a Pousada de BoonsBoro. Cada livro é baseado na história de amor de cada um dos três irmãos Montgomery, um dos pontos mais altos dos dois primeiros vistos é a narração de ambos os pontos de vistas, seja dos Montgomery ou de suas amadas.

Owen Montgomery é o irmão que organiza tudo, tem sempre um planejamento pronto para o que quer que seja, ama resolver problemas, cuida da parte administrativa da empreiteira que tem com os irmãos, na qual todos tem uma função específica, mas todos colocam a mão na massa em prol de um bom projeto.

Avery MacTavish é a dona da pizzaria mais amada de BoonsBoro, ela diferentemente de Owen não tem tudo planejado, gosta de mudanças, vive trocando a cor do cabelo e apesar de ser dona da pizzaria de sucesso é um tanto quanto desorganizada, mas não se preocupa com isso.

Os dois se conhecem desde a infância, foram o primeiro namorado(a) um do outro quando tinham nada menos do que seis anos de idade, no fundo sempre continuaram a sentir algo um pelo outro, mas ao longo dos anos construíram uma sólida amizade. Como nem tudo são flores, eles não se apaixonam num piscar de olhos, Avery tem muitas ressalvas e medo de se envolver devido a sua mãe, que traiu a abandonou o seu pai e a ela ainda criança, por medo de ter herdado esse gene, ela não se envolve a fundo nos seus relacionamentos e não acredita muito no casamento. Owen já tem, claro, tudo planejado irá se apaixonar e se casar dentro de alguns anos.

Com a proximidade da inauguração da pousada, Owen e Avery ficam cada vez mais próximos, ele com as últimas compras e decisões e ela disposta a ajudar no que for preciso. Essa proximidade faz com que os dois deem uma chance a eles mesmos, para testar o que pode acontecer, mas com uma única condição: irão continuar amigos independentemente do que ocorra no relacionamento amoroso.

A paixão misturada a uma atração desde a infância se juntam para as noites calientes que eles desfrutam e para que cada um deles perceba que o que sentem um pelo outro é mais que uma simples atração ou um test-drive, é amor. Mas qual deles vai conseguir assumir isto ao outro, e para si mesmo, Owen estará disposto em abrir mão de sua vida planejada e certinha? Avery vai colocar de lado o medo e se arriscar?

Misturado a tudo isso, temos a grande inauguração da pousada, que dá vontade de largar tudo e partir para BoonsBoro (eles têm um quarto chamado Elizabeth e Darcy, #quero), temos também o desdobramento do final feliz do primeiro livro e a paranormalidade continua com a fantasma Lizzy que vive na pousada, todos os personagens têm uma relação cada vez maior com a Lizzy e isso faz com que acabemos nos aprofundando mais na história dela e descobrindo o início de uma história de amor que será desvendada apenas no próximo livro.

Ler Nora é ter uma certeza, se prepare para histórias de amor, mas não tem amor fácil não viu? Tem sim aquele que é construído aos poucos e descoberto, por vezes sem querer, ou não no momento certo, se quiser uma leitura deliciosa, sem chororô e com uma dose de paranormalidade, esse é o livro certo para você, só uma dica: leia o primeiro antes, porque assim você irá entender melhor a história e não terá spoliers que são impossíveis de não ter na continuação.



“Tudo aconteceu de forma frenética, sem tempo para nenhum dos dois tomar fôlego, Era um beijo que dava vazão a um desejo profundo e ardente. Um ímpeto que se espalhava pelo corpo todo.”