domingo, 1 de outubro de 2017

Resenha da semana: Como agarrar uma herdeira / Julia Quinn

Um dos romances mais divertidos que li nos últimos tempos, para quem curte romances de época ou para quem nunca leu nada esse é o livro certo para ser a sua próxima leitura. Ler Julia Quinn é ter certeza de que você irá se apaixonar a cada página.


Sempre que pego um novo livro da Julia, já sei que irei arranjar mais um crush literário e que as risadas da semana já estão garantidas. Nesse novo lançamento não foi diferente. O que mais gosto dos romances dela é a leveza, apesar de em muitas ocasiões estarmos lendo sobre questões bem complicadas, não conseguimos 'ficar na bad', queremos apenas ler o próximo capítulo para saber o final feliz, de bad já basta a vida real, não é mesmo?


Uma coisa que não podemos falar de Caroline Trent é que ela é convencional, porque ela pode ser tudo menos previsível. Durante toda a sua vida, com a morte de seus pais quando ela era muito jovem, passou por diversos tutores, que não se importavam nada com ela, tinham o interesse único na sua herança, mas bem como acontecera com seus pais, alguns de seus tutores imediatos faleceram, a deixando na responsabilidade do odioso Oliver Prewitt.  Eis que se aproximando dos seus 21 nos ela poderia enfim ter acesso a sua herança, a não ser que seu atual tutor tivesse planos diferentes dos dela.

Blake Ravenscroft é um agende secreto da Coroa britânica, ele trabalha em prol da segurança nacional, combatendo ameaças a independência e crimes contra a mesma, mas não está feliz com a vida que leva. Por ser espião, obviamente, não pode compartilhar nada com sua família, ninguém sabe que ele arrisca a própria vida durante muitos anos e que ele perdeu o amor de sua vida em uma das missões secretas.

Mas a vida de Blake está prestes a mudar, enfim a Coroa permitiu que ele se aposentasse se fizesse um último trabalho: a captura de Carlota De Leon, uma espiã espanhola que é muito escorregadia e faz muitos anos que a Coroa está tentando captura-la para obter informações sobre traidores.

Caroline após descobrir o plano maléfico de seu tutor decide fugir até que completasse a idade necessária para requerer sua herança, que seria dali a algumas semanas, o que ela não poderia imaginar era que as investigações de Blake o levaram até Oliver Prewitt e justamente na noite em que Blake está aguardando a chegada de Carlota ele literalmente se esbarra com Caroline.

E o pior, ele acredita que Caroline, na verdade era Carlota, já que uma mulher normal não andaria com uma pistola, não é mesmo? Embora Caroline negasse que fosse Carlota, Blake não acreditava, ela viu então uma oportunidade de ficar escondida como se fosse realmente a espiã, até completar a idade necessária, mas dessa forma iria atrapalhar uma operação da Coroa, colocando em risco toda a Inglaterra, bem o que você faria?

Aos poucos Caroline e Blake vão se conhecendo e descobrindo que têm mais em comum do que poderiam imaginar e com situações extremamente inusitadas a gente vai acompanhando o surgimento de um amor que faz nosso coração ficar quentinho e detalhe eu ri sozinha no ônibus e na barca porque é impossível se conter com as situações criadas pela Julia, imagina se você tivesse que se hospedar num banheiro, fingir que não sabe escrever ou que decidisse ser útil organizando a biblioteca, mas acabasse torcendo o pé... O que nenhum dois poderia prever era que todas essas situações loucas fariam ambos se descobrirem apaixonados.

“Caroline estava muito acostumada ao seu defeito de, com frequência, falar sem pensar, mas naquele dia parecia que ela tinha elevado o vício ao nível do absurdo. Além disso, perdera completamente o apetite, sempre tão saudável. Sem contar que passava o tempo todo sorrindo como a maior das tolas.”

Uma característica bem legal do livro é que a cada capítulo temos uma palavra do dicionário da Caroline, ela tem um caderno no qual anotada as palavras que descobre junto com o respectivo significado, as palavras no início dos capítulos estão relacionadas ao que iremos ler:

“pro.ce.dên.ci:a (substantivo). Origem, proveniência.
Não posso alegar conhecer ou compreender a procedência do amor romântico, mas estou certa de que é algo que precisa não ser compreendido, mas apenas apreciado e venerado.
- Do dicionário pessoal de Caroline Trent.”




Quando estava lendo fui escutar essa música do Ed Sheeran e nossa, achei a cara do livro, vi muito a Caroline e o Blake nos versos do Ed: Perfect

Esse é o livro 1 da duologia 'Agentes da Coroa'.